28 de fevereiro de 2010

Eu ainda vivo

3261094042_8dbc294026_large

Abro os olhos após uma noite de sonhos. Agarro-me ao cobertor, tentando me proteger do frio. Lagrimas começam a escorrer pelos meus olhos e sinto uma dor... Uma dor que vem de dentro. Uma dor que vai, mas além do coração. A minha alma chora, às vezes grita por socorro. Eu tenho que conviver com essa dor por mais um tempo, mas a pergunta certa é: Por mais quanto tempo vai doer? E hoje me parece, mais um dia comum, sem marcas, sem esperanças, sem fé. Olho em volta do meu quarto e me lembro de que tenho que enfrentar a realidade. Mas a minha realidade é cruel. Ela tem dia e hora marcada pra acabar? Não, ela não tem hora marcada pra acabar, seria bem mais fácil se tivesse. E o que mais dói é saber que não posso te ter pra sempre, que eu não tenho o “sempre” como eu imaginava. Será egoísta de minha parte querer você por mais um tempo? Ou será que devo te deixar livre pra você não sofrer com minha ausência?. Então me olho no espelho, aquela imagem no espelho retrata a mais pura fraqueza. A minha face traçada por expressões de cansaço, a palidez me consome lentamente. E a dor, a dor continua... A dor vai me matar mais rápido do que qualquer outra coisa. Sabe o que é viver com medo de dormir? Eu tenho medo de dormir, por que eu não sei se vou acordar amanhã. Que ironia da vida eu que sempre adorei sonhar, sonhar com meu futuro e planejá-lo, tenho que viver com o terrível sonho do presente e aprender a sonhar com um futuro onde eu não esteja. Tenho que viver como se fosse o ultimo dia, viver com pressa, com medo e com uma vontade enorme e doentia de simplesmente VIVER INTENSAMENTE, enquanto eu ainda posso. E quando o meu coração parar de bater os sentimentos irão morrer?E esse amor que sinto por você, esse amor que de alguma forma me faz ter esperanças, por que eu preciso de você assim como meu coração precisa de mais uma batida e depois de outra e assim constantemente. E se eu não tiver mais tempo, só quero dizer que eu te amo e que vou te amar mesmo... Mesmo que amanha pra me não exista. E eu me sinto como se um pedaço de mim estivesse sendo deixado pra trás, mas eu não quero deixa esse pedaço no passado, mais nem posso tê-lo no futuro, mas se pudesse levar algo desse mundo pra algum lugar, se existe outro lugar, eu queria levar esse amor, só esse amor por que é um sentimento bom e eu nunca tive sentimentos ruins. Eu quero que alguns laços sejam eternos, quero dizer aos meus amigos que os amos e sempre amarei cada um com seus defeitos e que eles são tudo pra mim, sempre serão. E que eu amo a minha vida e não queria deixá-la por nada. Que eu ainda preciso realiza aquele sonho que ninguém sabe só eu mesma. Que eu preciso conhecer Amsterdam. Que eu ainda quero escrever um livro sobre mim. Que eu ainda preciso contar todas as estrelas que tem no céu e coloca meu nome em uma delas. Que eu preciso saber quem eu sou e quem realmente eu quero ser. Eu quero tudo em pouco tempo. Mas esse pouco tempo é que me faz querer fazer tudo, e esse mesmo pouco tempo me ensinou a dá mais valor as coisas, a amar mais. A perdoar e não odiar a vida por nada. Eu amo a minha vida, apesar dela não me amar o bastante e querer me deixar, mesmo assim eu continuo amando-a . E talvez continue…

não sei quem escreveu :/

o que acharam do novo lay? :D

3 comentários:

Luan Fernando disse...

Se tens medo de dormir como vives?
Com medo de tropeçar e cair...
A vida nos ama, mas talvez o certo não é o que desejamos.
Beijos e seu Blog está lindo!
Juliane

thais motta ~ disse...

Adorei o lay novo .
Perfeitinho , tua cara *--*


Bom domingo .

beijos :*

Giovanna disse...

que lindo esse texto *--* adorei, :D

Related Posts with Thumbnails